sexta-feira, abril 09, 2010

Seu Guará se foi.

Seu Guará,pai da minha amiga Iracema,foi a vida toda e até diante da morte,um verdadeiro lutador.Um guerreiro de verdade,como dizem.Há algum tempo,já com noventa anos,teve uma infecção urinária terrivel e conseguiu sair-se brilhantemente;ele simplesmente escolhia viver.Há alguns meses a mulher faleceu;com Alzheimer;descansou enfim.Ele vinha reagindo aos embates relativamente bem,até que o velho guerreiro resolveu que era hora de guardar as armas;combateu o bom combate.
Estou registrando isso tudo porque seu Guará é uma figura excepcional em São Luis.Ele era dono do mais famoso caldo de cana de nossa cidade nos velhos tempos do abrigo da praça João Lisboa.E dizem,só ele e o Ribamar Bogéa do Jornal Pequeno não se venderam ao sarna naquele tempo.Não sei se é lenda ou se é a mais pura verdade.Mas é muito provável.Vá em paz,seu Guará.Deus o coloque em um ótimo lugar e lhe perdoe os pecados,pois só o fato de ser,junto com seu Bogéa,um resistente já merece minha admiração.
 

8 comentários:

http://graceolsson.com/blog disse...

Anunci, essas pessoas sao e dao verdadeiras licoes de vida.Onte, Anunci, encontrei duas velhinhas, em um abrigo..aprendi tanto com elas..bjs e dias felizes

Anônimo disse...

Oi nossa querida Anunciacao.
E tao bom conhecer essas pessoas lindas como seu Guara, que Deus o tenha. Gosto imenso de vc, por ser essa pessoa maravilhosa que es. Sinto uma ligacao com vc e a Marcia devido ao Felippe(cerumano).
Ele se foi, mas me deu vcs, a quem admiro e ja amo. Que Deus as ilumine cd segundinho mais, p/ nao deixarem esse jeitinho lindo que tem. Se Deus quizer um dia nos conheceremos. Vou ao Rio 1 ou 2 vezes ao ano,e por poucos dias, mas quem sabe, um dia. Meu marido tem muita vontade de conhecer o norte. Muitos abracos amiga e se precisar de mim aqui estarei.erika

Anunciação disse...

Erika,que bom encontrá-la,mesmo que virtualmente.Sinceramente,de vez em quando me lembro de vc quando venho no meu blog.Apesar de manter o link do Filippe nunca mais fui lá pois me dá uma vontade danada de chorar e acho que ele não gostaria.

Georgia disse...

Meu avô morreu aos 94 anos e de velhice. Nao sofria de nada. Nao tinha colesterol alto e nem acucar no sangue. Ele dizia que o segredo era caminhar meia hora depois do almoco; ele vendia cocada e por isso tinha que caminhar após o almoco. Ele fazia a cocada mais gostosa que eu já comi. Ninguém na família trouxe a mao dele para isso. Morreu como um passarinho. Pessoas de bem com a vida morrem assim: felizes.

Um beijao

Luma Rosa disse...

Uma figura folclórica que já faz parte da história local! Que Deus o tenha em alta conta como seus conterrâneos o tem. Beijus,

Zany Vasconcelos disse...

Nunci, até que enfim eu consegui ler o seu blog. De vez em quando vinha aqui e dava mensagem que não era possível ver o blog.Agora ficará mais fácilme atualizar com as suas notícias. Bjs!!

http://graceolsson.com/blog disse...

Anunci , e a reforma, como vai indo?bjs e dias felizes

Vivi disse...

A morte nunca é muito fácil de aceitar, mas é a única certeza. Levamos dessas pessoas o melhor.

Um bjão